Bilionário dono da Garena envia memorando a funcionários sobre momento do mercado

A dona do Free Fire sofreu uma queda de US$ 150 bilhões em seu valor de mercado de ações desde o final de 2021
Bilionário dono da Garena envia memorando a funcionários sobre momento do mercado

Ronny Rolim

No último dia 7 de março, os funcionários da Sea, empresa dona da Garena e do Free Fire, estavam começando sua semana quando um e-mail do CEO Forrest Li chegou. No memorando de 900 palavras, o bilionário adotou um tom contrito, abordando de frente uma queda de US$ 150 bilhões no valor de sua empresa desde o final de 2021.

Nesta terça-feira (15 de março), a ação estava sendo negociada pouco acima de US$ 89 por ação em Nova York, abaixo do pico de cerca de US$ 367 em novembro e cerca de US$ 210 nesta época do ano passado. No início de 2020, estava sendo negociada a cerca de US$ 40 por ação.

Veja também: assim é a vida bilionária do dono do Free Fire

A perda vertiginosa de valor de mercado levou o bilionário chefe da Garena (e do Free Fire), Forrest Li, a tranquilizar seus funcionários em um memorando de 900 palavras sobre a posição da empresa na semana passada.

Forrest Li, dono da Garena
Forrest Li, dono da Garena

Nele, o empresário de 44 anos, que é considerado por alguns como tímido ao ponto do sigilo, reconheceu que a queda foi dolorosa e que os funcionários podem estar “se sentindo frustrados, desanimados ou preocupados com o futuro da Sea/Garena”.

"Não tenha medo, estamos em uma posição forte internamente e temos clareza sobre nossos próximos passos. Essa é uma dor de curto prazo que temos que suportar para realmente maximizar nosso potencial de longo prazo."

Nos últimos anos, com o principal negócio da SEA, o Free Fire, crescendo rapidamente, o fundador dirigiu suas equipes principalmente para comemorar marcos importantes. Mas após uma série de contratempos extraordinários este ano — incluindo o banimento abrupto do Free Fire na Índia — a empresa está mostrando sinais de atender às demandas de acionistas e funcionários por mais abertura.

Vale lembrar que a queda das ações da SEA se acelerou em janeiro, quando o maior investidor, Tencent, anunciou que estava vendendo parte de sua participação, depois acelerou com o banimento da Índia em fevereiro, antes de culminar em horríveis lucros trimestrais este mês. Ao todo, a Sea perdeu três quartos de seu valor em 5 meses.


COMPARTILHE:

Comentários

Agora, os fãs podem deixar comentários com sua opinião sobre o assunto:

CODIGUIN FF

Notícias Relacionadas: